O que é um scrum master?

O que é um mestre de scrum e como ele ajuda as equipes a se manterem na linha

Max Rehkopf Max Rehkopf
Buscar tópicos

Resumo: O mestre de Scrum faz a facilitação do Scrum para equipes maiores garantindo que a estrutura seja seguida. É uma pessoa que tem o compromisso com os valores e práticas do Scrum, mas também deve manter a flexibilidade e a abertura para oportunidades de melhorar o fluxo de trabalho da equipe.

Como o próprio título sugere, o mestre de Scrum é um mestre dessa estrutura, que garante que ela seja seguida. O Scrum tem um conjunto de funções e rituais que têm definições claras e devem ser seguidos, e o mestre de Scrum trabalha com cada membro da equipe Scrum para orientar e guiar a equipe em relação a essa estrutura.

O mestre de scrum mexe no cartão do painel do Scrum junto com seus colegas

Em uma pesquisa recente que a gente realizou no Twitter, 92% dos respondentes disseram que praticam algo personalizado, mas não o Scrum dos manuais. Esse resultado fez com que a gente se perguntasse o que significa para o mestre de Scrum, aquele que tem o papel de treinar e ajudar a equipe a entender o Scrum? Onde eles se encaixam no mundo ágil em evolução que não segue manuais?

Essas são as perguntas que a gente queria responder quando mergulhou nos papéis e responsabilidades dos heróis anônimos do método ágil, os mestres de Scrum.

O que é um scrum master?

Os mestres do scrum são os facilitadores do scrum, a estrutura ágil e leve com foco em iterações com intervalos de tempo chamadas sprints. Como facilitadores, os mestres do scrum agem como treinadores para o resto da equipe. "Líderes dos empregados", como o guia do Scrum apresenta. Bons mestres do scrum são comprometidos com os as bases do scrum e com seus valores, mas se mantêm flexíveis e abertos a oportunidades para que a equipe melhore seu fluxo de trabalho.

O mestre de scrum mexe no cartão do painel do Scrum junto com seus colegas

Responsabilidades do mestre do scrum

No mundo ágil ideal, a equipe iria gerenciar seus próprios processos e ferramentas. Ainda assim, a gente tem visto que muitas equipes, ao fazer o pulo para o método ágil, muitas vezes conta com o mestre de scrum como o dono do processo. Leva algum tempo para a responsabilidade e autoridade se difundir dentro da equipe. Nesse contexto de transformação, o papel pode ser tão simples quanto agendar as cerimônias de scrum ou tão complexo quanto o de qualquer membro da equipe de scrum. Embora o guia de Scrum liste como os mestres de scrum fazem os papéis de scrum, essa não é uma lista de responsabilidades é exaustiva. De fato, a gente encontra mestre de scrum que muitas vezes desempenham parte ou todos os itens a seguir, sendo que nem todos estão definidos pelo scrum:

  1. Reuniões rápidas: facilitar reuniões rápidas diárias (ou o Scrum diário) conforme necessário.
  2. Reuniões de planejamento de sprint/iteração: evitar que a equipe se comprometa com mais do que pode dar conta e tenha deslizamentos de escopo. Ajudar na estimativa e na criação de subtarefas.
  3. Revisões de sprint: participar da reunião e registrar feedbacks.
  4. Retrospectivas: anotar áreas que precisam melhorar e itens de ação para sprints futuros.
  5. Administração do quadro: trabalhar como administrador do quadro do Scrum. Garantir que os cartões estão atualizados e que a ferramenta de Scrum, Jira Software ou outra, esteja funcionando bem.
  6. Conversas individuais: fazer reuniões individuais com os membros da equipe e com as partes interessadas conforme elas forem necessárias. Esclarecer discordâncias sobre estilos de trabalho e processos na equipe. Muitas pessoas que usam o Scrum não gostam de conversas individuais, porque acham que esse tipo de comunicação deve ocorrer durante as reuniões rápidas, mas algumas equipes, em especial equipes novas, preferem ter essas interações regulares cara a cara com membros específicos da equipe. O mestre de Scrum pode decidir que essas interações individuais são essenciais para o desenvolvimento da equipe e para que uns conheçam os outros.
  7. Consultas internas: os mestres Scrum devem estar preparados para consultar os membros da equipe e partes interessadas internas sobre qual é a melhor forma de trabalhar com a equipe Scrum.
  8. Relatórios: análise regular de gráficos de burndown e outras ferramentas de planejamento de portfólio para entender o que está sendo feito e qual é o ritmo.
  9. Bloqueadores: o mestre de Scrum ajuda a equipe eliminando bloqueadores externos e gerenciando obstáculos internos com melhorias de processo ou fluxo de trabalho.
  10. Trabalho ativo: se a equipe não estiver trabalhando bem, é o mestre de Scrum quem tem que dar um jeito. Talvez a solução seja consertar computadores estragados, mudar as mesas de lugar ou ajustar o ar-condicionado. Os mestres de Scrum devem estar dispostos a fazer o que for preciso para ajudar a equipe e não deve se esquivar de servir café ou lanches se for para o bem da equipe.
Dois colegas ligando o cabo de alimentação da marca Jira

Eu preciso de um mestre de scrum?

Qualquer instrutor de Scrum vai ensinar que a equipe precisa ter um mestre. Se não tiver, o que você está fazendo é só uma amostra do verdadeiro Scrum, muitas vezes chamado de Scrum-but.

Quando estiver começando a aplicar o Scrum, ter alguém que já tenha visto o Scrum funcionando antes para exercer essa função pode ajudar bastante. Melhor ainda, tenha visto muitos exemplos dele funcionando. Por esse motivo, os mestres de Scrum em geral são contratados como consultores e não funcionários de período integral.

Mas cada equipe Scrum é diferente. Muitas equipes experientes lidam com as responsabilidades listadas acima como uma unidade e se orgulham e felicitam por terem um gerenciamento compartilhado do processo. O papel de mestre de Scrum é rotativo dentro da equipe, alternando os membros que facilitam as reuniões rápidas e retrospectivas.

E, para algumas equipes, a coisa certa a fazer é que apenas uma pessoa tenha sempre esse papel.

Infelizmente, o mau entendimento da função de mestre de Scrum muitas vezes faz com que os gerentes suponham que esse papel é deles. Para entender melhor por que essa suposição pode ser um problema, vamos comparar o mestre de Scrum com funções que não são de Scrum que existam na sua empresa e por que é importante manter as funções separadas.

Mestre de scrum x Gerente do produto

Como a gente defende na visão geral sobre o gerenciamento de produto ágil, quanto mais envolvido estiver o gerente do produto com a equipe de desenvolvimento, melhor. Esse envolvimento deve ser semelhante ao de um proprietário do produto que defende as necessidades do cliente, o "porquê" do produto. Quando o envolvimento atrapalha a tarefa, o "como" da equipe, há um problema. Mesmo com a melhor das intenções, esse tipo de mentalidade de uso tende a esconder problemas: defeitos, transferências, elementos desconhecidos. Intercalar o escopo e o processo faz com que se trave o escopo, a agenda e a qualidade. Essa é a receita para o fracasso.

Esse é o motivo para o mestre de Scrum e o proprietário do produto atenderem necessidades diferentes na equipe Scrum que, na gestão tradicional de software, são combinadas. Em equipes pequenas, é tentador evitar a sobrecarga aparente de uma das funções, mas, quando as pedras no caminho aparecem, ou as mudanças surgem, uma divisão clara entre gestão de processo e direcionamento do produto é necessária.

Mestre de scrum x Gerente do projeto

O equivalente não técnico (ou não ágil) do mestre de Scrum é o gerente de projeto. As duas funções têm o foco no "como" da execução do trabalho e em resolver os problemas de fluxo de trabalho por meio de processo e facilitação. Então você precisa dos dois? O mais provável é que não.

O gerente de projeto tradicional e o mestre de Scrum são responsáveis por ajudar as equipes a cumprir suas tarefas, mas têm abordagem bem diferentes. O gerente de projeto configura e rastreia os cronogramas e marcos, faz relatórios do progresso e coordena a comunicação da equipe. Mas atua em posição de controle, em uma função de gestão mais tradicional.

Já o mestre de Scrum ajuda a equipe a melhorar e otimizar os processos que vão fazer com que alcancem as metas. Ele atua como membro da equipe ou colaborador, não como alguém no controle. As melhores equipes Scrum são auto-organizadas e não reagem bem a uma gestão de cima para baixo.

Essas são apenas algumas das configurações possíveis da gestão da equipe Scrum. Algumas empresas usam todos esses elementos, outras usam apenas alguns e outras, nenhum.

Mestres de scrum e a organização maior

Há uma consideração que se destaca em relação às outras quando se pensa em contratar um mestre de Scrum: só contrate se a empresa estiver comprometida com o Scrum e engajada no processo. Todas as funções acima podem gerenciar uma equipe de desenvolvimento de diversas formas, mas o mestre de Scrum só pode ser efetivo se 100% da equipe comprou a ideia. Ponto final.

Com um mestre de Scrum ajudando toda a equipe a gerenciar o processo, toda a empresa pode conquistar algumas vitórias importantes. Além de agregar valor aos clientes com regularidade (o objetivo principal do Scrum), os colegas de equipe e gerentes se sentem livres para focar no que eles fazem de melhor. Os gerentes de produto podem manter o foco na estratégia, desenvolvedores podem escrever os melhores códigos e a equipe do setor de vendas, pode tocar aquele maldito sino. O que essa perspectiva parece? Parece que quando o Scrum funciona, é música para nossos ouvidos.