Velocidade no Scrum: como medir e melhorar o desempenho

Atlassian Por Atlassian
Buscar tópicos

Quer saber a que velocidade a equipe de Scrum trabalha? Use um "velocímetro" do projeto ágil para ter uma noção precisa da capacidade de trabalho da equipe. Este guia vai revelar os segredos da velocidade no Scrum e ensinar como calcular e usar essa métrica poderosa para prever o desempenho futuro da equipe.

O que é a velocidade no Scrum?

No Scrum e em outras estruturas de gestão ágil de projetos, a velocidade funciona como uma métrica de agilidade para estimar o trabalho que uma equipe de Scrum pode concluir em um determinado período, como em um único sprint.

Você pode expressar a velocidade em pontos da história, uma unidade de medida para dimensionar histórias dos usuários ou tarefas em termos de complexidade, risco e incerteza. Os pontos da história são uma forma mais detalhada de estimar o trabalho do que métricas baseadas em tempo, como horas ou dias.

Por exemplo, considere uma história do usuário para desenvolver uma tela de login de aplicativo. A equipe poderia atribuir o valor de 3 pontos da história a essa tarefa com base na complexidade e no esforço para conclusão. A integração de um gateway de pagamento complexo poderia receber o valor 8 devido à maior complexidade e aos possíveis riscos.

Muitos fatores influenciam o número de pontos da história que cada membro da equipe pode concluir durante um sprint de duas semanas, como a experiência do indivíduo, a complexidade das tarefas e a dinâmica de trabalho da equipe. As novas equipes do Scrum costumam ter uma média de 5 a 10 pontos da história por pessoa para cada sprint de duas semanas.

A velocidade ajuda a prever a melhora que uma equipe pode ter em sprints futuros, o que auxilia no planejamento e na definição de metas realistas. Essa métrica ajuda as equipes a desenvolver um ritmo de trabalho estável, prever cronogramas de projetos e gerenciar as expectativas das partes interessadas.

Como calcular a velocidade no Scrum

A velocidade é calculada no final de cada sprint totalizando os pontos da história ou outras unidades de medida de todas as histórias dos usuários concluídas por completo.

Veja o processo detalhado para calcular a velocidade no Scrum:

1. Planejar um sprint

Antes do início de um sprint, descreva e atribua pontos a todas as histórias dos usuários no backlog do produto. Por exemplo:

  • Atribuir a autenticação do usuário: 5 pontos
  • Adicionar a integração ao gateway de pagamento: 8 pontos
  • Implementar uma funcionalidade de pesquisa: 3 pontos
  • Desenvolver uma página de perfil do usuário: 13 pontos
  • Implementar notificações por e-mail: 2 pontos
  • Otimizar as consultas ao banco de dados: 21 pontos
  • Criar um painel do administrador: 5 pontos

A equipe deve se comprometer a concluir histórias do usuário no próximo sprint com base na velocidade média dos sprints anteriores e em outros fatores, como feriados ou dependências externas. Por exemplo, se a velocidade média for de 15 pontos sem feriados ou dependências externas, a equipe vai poder trabalhar em histórias do usuário que tenham cerca de 15 pontos no próximo sprint.

2. Listar as histórias dos usuários concluídas

Crie uma lista de todas as histórias dos usuários concluídas no final de cada sprint. As histórias devem ter atendido aos critérios de aceitação e sido aprovadas pelo Scrum Master e pelo proprietário do produto.

Quando uma história do usuário está 90% concluída, ela não é considerada um trabalho concluído por completo. A equipe deve passar para o próximo sprint e reavaliar os pontos com base nas tarefas restantes.

3. Pontos de verificação

A equipe já deve ter atribuído pontos da história a cada história do usuário concluída. Se, por algum motivo, os pontos da história precisarem ser reavaliados, este é o momento.

Por exemplo, se a equipe concluir três histórias dos usuários no sprint atual: atribuir a autenticação do usuário, adicionar a integração do gateway de pagamento e implementar uma funcionalidade de pesquisa. Você vai poder atribuir essas tarefas com estes pontos da história:

  • Atribuir a autenticação do usuário: 5 pontos
  • Adicionar a integração ao gateway de pagamento: 8 pontos
  • Implementar uma funcionalidade de pesquisa: 3 pontos

4. Somar os pontos para descobrir a velocidade

Depois, você precisa totalizar os pontos da história de todas as histórias dos usuários concluídas. A soma dos pontos da história representa a velocidade do sprint.

No cenário acima, o total seria de 5 pontos + 8 pontos + 3 pontos = 16 pontos. A velocidade desse sprint seria de 16 pontos.

5. Velocidade média

Você pode obter uma medida mais confiável para sprints futuros calculando a velocidade média em relação ao número de sprints que a equipe conclui. Essa medida é muito útil para equipes recém-formadas ou que mudaram de tamanho ou estrutura.

Por exemplo, se as velocidades dos últimos três sprints fossem 14, 16 e 15, a velocidade média seria (14 + 16 + 15) /3 = 15 pontos.

Fatores que podem afetar a velocidade do Scrum

Vários fatores podem influenciar as métricas e a velocidade do Scrum. Esse entendimento pode ajudar no planejamento e na melhoria contínua do desempenho da equipe.

Tamanho da equipe e nível de habilidade

O número de pessoas em uma equipe e os respectivos níveis de habilidade influenciam a quantidade de trabalho que elas são capazes de fazer durante um sprint. Equipes maiores talvez consigam concluir mais pontos da história em um sprint. No entanto, ter mais pessoas pode sobrecarregar comunicação e aumentar os desafios de coordenação.

Por outro lado, uma equipe pequena e bem qualificada poderia superar uma equipe grande e menos qualificada ao fazer tarefas complexas com eficiência.

Estabilidade e experiência da equipe

Quando os membros da equipe do Scrum trabalham juntos em vários sprints, eles acabam resolvendo muitos dos problemas que atrapalham as equipes novas. Eles estabelecem padrões de comunicação e sabem quem é melhor em quê.

Essas equipes compartilharam experiências que são aproveitadas quando os problemas surgem. Essa familiaridade pode melhorar bastante a velocidade.

Complexidade das histórias dos usuários

Um sprint cheio de histórias complexas costuma resultar em uma velocidade baixa. O valor da velocidade é enganoso quando a complexidade não reflete com precisão os pontos da história atribuídos.

Para manter uma velocidade consistente, algumas equipes buscam um equilíbrio entre tarefas de conclusão rápida e tarefas mais complexas em um sprint.

Dependências e restrições externas

Se sua equipe depende de outra para concluir as atualizações do banco de dados ou as integrações de API, e essa outra equipe se atrasa, a velocidade da sua pode cair. Para reduzir os impactos negativos, é necessário prestar atenção a essas dependências e ter um planejamento para o caso de ocorrerem, mantendo uma comunicação eficaz entre as equipes.

Da mesma forma, considere feriados ou eventos obrigatórios da empresa no planejamento de sprint, pois eles reduzem o tempo de trabalho disponível.

Uso da velocidade no Scrum

Quando você entende a velocidade da equipe, ela se torna uma ferramenta poderosa em vários aspectos do planejamento de sprint e da gestão de projetos, desta forma:

Estimativa de sprints futuros

Conhecer a velocidade média da equipe ajuda a eliminar suposições. Se a equipe tem uma velocidade média de 50 pontos da história nos últimos três sprints, você tem uma linha de base constatada por dados para planejar o próximo sprint. Se o backlog do próximo sprint tiver cerca de 50 pontos da história, você vai assumir um compromisso razoável.

Previsão de cronogramas do projeto

As partes interessadas confiam mais em estimativas baseadas em dados do que em suposições ou opiniões. Por exemplo, se o backlog do projeto tiver 200 pontos da história e a velocidade média da equipe for de 50 pontos da história por sprint, você vai poder prever com segurança que a equipe vai precisar de mais quatro sprints para concluir o projeto.

Identificação de falta ou excesso de comprometimento

A velocidade de uma equipe que cai de repente para 30 pontos da história ou dispara até 70 é um sinal de alerta. Uma queda expressiva pode indicar que a equipe esteja sobrecarregada, e um aumento pode significar que ela tenha recebido menos trabalho do que poderia. Essas informações permitem que você faça ajustes em tempo real, como reatribuir tarefas ou reconsiderar metas de sprint.

Monitoramento da melhoria e progresso iterativo

Monitorar a velocidade ao longo do tempo ajuda a entender se a equipe está ficando mais eficiente ou se os itens em andamento precisam de atenção. Se a velocidade sobe de 40 para 60 em vários sprints, significa que as melhorias no processo estão gerando resultados.

Monitore a velocidade no Jira Software

O Jira Software inclui um gráfico de velocidade que mostra as velocidades anteriores da equipe, facilitando o planejamento de sprints. É uma ferramenta completa para visualizar quanto trabalho a equipe pode fazer, o que permite definir metas futuras de sprint mais precisas.

Além disso, oferece todas as outras funções de métricas, informações, relatórios e gestão de projetos da metodologia ágil que são necessárias para que a equipe eleve o nível do planejamento e do desempenho.

Velocidade no Scrum: perguntas frequentes

A velocidade no Scrum é o mesmo que produtividade?

Não, velocidade no Scrum não é o mesmo que produtividade. Velocidade é uma métrica para planejar e estimar quanto trabalho uma equipe pode fazer em sprints futuros.

A produtividade é uma medida mais ampla que pode incluir fatores como qualidade do trabalho, eficiência dos processos e valor para os negócios.

Como as equipes podem aumentar a velocidade?

As equipes podem aumentar a velocidade fazendo sempre reuniões retrospectivas para discutir o que deu certo e o que não deu e planejar melhorias para o próximo sprint. Minimizar a troca de contexto, reduzindo mudanças frequentes entre diversas tarefas ou projetos, pode levar a uma velocidade mais alta e mais consistente.

Quais são as limitações de usar velocidade no Scrum?

A velocidade é uma ferramenta de planejamento útil, mas tem limitações e não deve ser a única métrica de desempenho para avaliar uma equipe. Para uma visão mais abrangente do desempenho da equipe, é importante monitorar outras métricas ágeis.

Uma limitação importante é que a velocidade não reflete a qualidade do trabalho nem o valor comercial agregado. É uma medida quantitativa que não leva em conta os aspectos qualitativos da complexidade da história do usuário individual.

A velocidade é específica da equipe — ou seja, não é uma medida para comparar o desempenho de equipes diferentes. Cada grupo dentro de uma equipe pode trabalhar de maneira diferente, o que leva a velocidades distintas. Uma velocidade geral mais baixa não quer necessariamente dizer que uma equipe tenha menos sucesso do que outra.