Objetivo

Aprenda o básico sobre o Git com este tutorial com temática espacial.

Missão breve

Sua missão é aprender os fundamentos do Git concluindo o tutorial e rastreando as estações de espaço de toda a sua equipe. Comandos abordados neste tutorial:

  • git clone, git config, git add, git status, git commit, git push, git pull, git branch, git checkout e git merge
Tempo Público-alvo: Pré-requisitos
30 minutos Você é novo no Git e no Bitbucket Cloud Você instalou o Git
Você tem uma conta Bitbucket

Criar um repositório do Git

Como novo administrador da estação espacial do Bitbucket, você precisa ser organizado. Ao fazer arquivos para a estação espacial, você vai querer mantê-los em um lugar só e compartilháveis com colegas de equipe, não importa onde eles estejam. Com o Bitbucket, isso significa adicionar tudo a um repositório. Vamos criar um!

  • Algumas curiosidades sobre repositórios

    • Você tem acesso a todos os arquivos em seu repositório local, quer esteja trabalhando em um ou vários arquivos.
    • Você pode visualizar repositórios públicos sem uma conta do Bitbucket se tiver a URL desse repositório.
    • Cada repositório pertence a uma conta de usuário ou a uma equipe. No caso de uma conta de usuário, esse usuário é o responsável pelo repositório. + No caso de uma equipe, essa equipe é responsável por ele.
    • O responsável pelo repositório é a única pessoa que pode excluir o repositório. Se o repositório pertencer a uma equipe, um administrador pode excluir o repositório.
    • Um projeto de código pode consistir em vários repositórios em várias contas, mas também pode ser um repositório único de uma conta única.
    • Cada repositório tem um limite de espaço de 2 GB, mas recomendamos manter seu repositório com no máximo 1 GB.

Passo 1. Crie o repositório

Inicialmente, o repositório que você criar no Bitbucket vai estar vazio, sem nenhum código nele. Isso não tem problema porque você vai começar a adicionar alguns arquivos a ele em breve. Esse repositório do Bitbucket vai ser o repositório central dos arquivos, o que significa que outras pessoas podem acessar esse repositório se você der permissão a elas. Depois de criar um repositório, copie uma versão para o sistema local—dessa forma, é possível atualizá-lo de um repositório e, em seguida, transferir essas alterações para o outro.

Repositório central para repositório local

Faça o seguinte para criar seu repositório:

  1. No Bitbucket, clique no ícone + na barra lateral global e selecione Repositório.

    Menu Criar repositório

    O Bitbucket exibe a página Criar um novo repositório. Dedique alguns momentos para rever o conteúdo da caixa de diálogo. Com exceção do Tipo de repositório, tudo que você inserir nessa página vai poder ser alterado mais tarde.

    Criar o repositório

  2. Insira BitbucketStationLocations no campo Nome. O Bitbucket usa esse Nome na URL do repositório. Por exemplo, se o usuário the_best tiver um repositório chamado awesome_repo, a URL desse repositório seria https://bitbucket.org/the_best/awesome_repo.

  3. Para Nível de acesso, deixe a caixa Este é um repositório privado selecionada. Um repositório privado só fica visível para você e para aqueles com acesso. Se essa caixa não estiver marcada, qualquer um poderá ver o seu repositório.

  4. Selecione Git para o Tipo de repositório. Após clicar em Criar repositório, não é possível alterar o tipo de repositório.

  5. Clique em Criar repositório. O Bitbucket cria seu repositório e exibe a página de Visão geral.

Passo 2. Explore seu novo repositório

Reserve algum tempo para explorar o repositório que você acabou de criar. É necessário estar na página Visão geral do repositório:

Visão geral do repositório

Clique em + na barra lateral global para ver as ações comuns de um repositório. Clique em itens na barra lateral de navegação para ver o que está por trás de cada um, incluindo Configurações, para atualizar os detalhes do repositório e outras configurações. Para ver os atalhos disponíveis para navegar nesses itens, pressione a tecla ? no teclado.

Ao clicar na opção Confirmações na barra lateral, você descobre que não tem nenhuma confirmação porque não criou nenhum conteúdo para seu repositório. Seu repositório é privado e você não convidou ninguém para o repositório, então, a única pessoa que pode criar ou editar o conteúdo do repositório nesse momento é você, o proprietário do repositório.

Copiar seu repositório do Git e adicionar arquivos

Agora que você possui um local para adicionar e compartilhar seus arquivos da estação espacial, você precisa de uma forma de obtê-los do seu sistema local. Para configurar isto, você precisa copiar o repositório do Bitbucket para o seu sistema. O Git se refere à cópia de um repositório como "clone". Ao clonar um repositório , você cria uma conexão entre o servidor Bitbucket (que o Git conhece como origem) e o seu sistema local.

Origem para local

Passo 1. Clone seu repositório em seu sistema local

Abra um navegador e uma janela de terminal de seu desktop. Depois de abrir a janela do terminal, faça o seguinte:

  1. Navegue até o diretório inicial (~).

     $ cd ~

    Ao usar mais o Bitbucket, você provavelmente trabalhará em múltiplos repositórios. Por essa razão, é uma boa ideia criar um diretório para conter todos esses repositórios.

  2. Crie um diretório para armazenar seus repositórios.

     $ mkdir repos
  3. No terminal, atualize o diretório no qual quer trabalhar para o novo diretório de repositórios.

     $ cd ~/repos
  4. No Bitbucket, acesse seu repositório BitbucketStationLocations.

  5. Clique no ícone + barra lateral global e selecione Clonar este repositório.

    O Bitbucket exibe a caixa de diálogo de clonagem. Por padrão, a caixa de diálogo de clonagem define o protocolo como HTTPS ou SSH, dependendo das suas configurações. Para esse tutorial, não altere seu protocolo padrão.

    Clonar diálogo

  6. Copie o comando de clonagem em destaque.

  7. Na janela do terminal, cole o comando que você copiou do Bitbucket e pressione Return(Retornar).

  8. Digite sua senha do Bitbucket quando for solicitado. Se você criou uma conta por meio da opção vincular ao Google, use a senha dessa conta.

    • Se ocorrer um erro de senha do Windows:

      • Em algumas versões do sistema operacional Microsoft Windows e do Git, você pode ver um erro semelhante ao do exemplo a seguir.

        Exemplo de erro de clonagem de senha do Windows

          $ git clone https://emmap1@bitbucket.org/emmap1/bitbucketstationlocations.git Clonando para 'bitbucketspacestation'... fatal: não foi possível ler a Senha para 'https://emmap1@bitbucket.org': Arquivo ou diretório não existente
      • Se esse erro for exibido, digite o seguinte na linha de comando:

          $ git config --global core.askpass
      • Em seguida, volte para a etapa 4 e repita o processo de clonagem. O agente bash deve agora solicitar sua senha. Você só deve ter que fazer isso uma vez.

      Neste ponto, sua janela do terminal deve ser semelhante a esta:

       $ cd ~/repos $ git clone https://emmap1@bitbucket.org/emmap1/bitbucketstationlocations.git Clonando para 'bitbucketstationlocations'... Aviso de senha: Você parece ter clonado um repositório vazio.

      Você já sabia que seu repositório estava vazio, certo? Lembre-se de que você não adicionou nenhum arquivo fonte a ele ainda.

  9. Liste o conteúdo do diretório de repositórios e você deve ver seu diretório bitbucketstationlocations nele.

     $ ls

Parabéns! Você clonou seu repositório para o sistema local.

Etapa 2. Adicionar um arquivo ao repositório local e colocá-lo no Bitbucket

Com o repositório no sistema local, é hora de ir trabalhar. Você quer começar a controlar todos os locais de sua estação espacial. Para fazer isso, vamos criar um arquivo sobre todos os seus locais.

  1. Abra a janela de terminal e navegue pela parte superior do repositório local.

     $ cd ~/repos/bitbucketstationlocations/
  2. Insira a seguinte linha na janela do terminal para criar um novo arquivo com conteúdo.

     $ echo "Earth's Moon" >> locations.txt

    Se a linha de comando não retornar nada, significa que você criou o arquivo corretamente!

  3. Verifique o status do seu repositório local. O comando git status mostra como seu projeto está progredindo em comparação com o repositório do Bitbucket.

    Nesse ponto, o Git está ciente de que você criou um novo arquivo e você vai ver algo assim:

     $ git status Na ramificação mestre Commit inicial Arquivos não monitorados: (use "git add ..." para incluir o que vai ser confirmado) locations.txt nada adicionado ao commit, mas os arquivos não monitorados estão presentes (use "git add" para monitorar)

    O arquivo não é rastreado, o que significa que o Git vê um arquivo que não faz parte de um commit anterior. O resultado de status também mostra a próxima etapa: adicionar o arquivo.

  4. Diga ao Git para rastrear seu novo arquivo locations.txt usando o comando git add . Assim como quando você cria um arquivo, o comando git add não retorna nada quando você o insere corretamente.

     $ git add locations.txt

    O comando git add move as alterações do diretório de trabalho para a área de staging do Git. A área de staging é onde você prepara um snapshot de um conjunto de alterações antes de fazer o commit no histórico oficial.

    Preparando adição do git

  5. Verifique o status do arquivo.

     $ git status Na ramificação mestre Commit inicial Alterações para fazer commit: (use "git rm --cached ..." para despreparar) novo arquivo: locations.txt

    Agora você pode ver que o novo arquivo foi adicionado (preparado) e você pode fazer o commit dele quando quiser. O comando git status exibe as condições do diretório de trabalho e da área de staging.

  6. Digite o comando git commit com uma mensagem de commit, conforme mostrado na próxima linha. O -m indica que há uma mensagem de commit.

     $ git commit -m 'Initial commit' [master (root-commit) fedc3d3] Commit inicial 1 arquivo alterado, 1 inserção (+) modo de criação 100644 locations.txt

    O git commit faz um commit do instantâneo preparado no histórico do projeto. Combinado com git add, esse processo define o fluxo de trabalho básico para todos os usuários do Git.

    Git commit

    Até este momento, tudo o que você fez está em seu sistema local e é invisível para seu repositório do Bitbucket até que você transmita essas mudanças.

    • Saiba um pouco mais sobre o Git e repositórios remotos

      • A capacidade do Git de se comunicar com repositórios remotos (no seu caso, o Bitbucket é o repositório remoto) é a base de cada fluxo de trabalho de colaboração baseado em Git.

      • O modelo de colaboração do Git dá a cada desenvolvedor sua própria cópia do repositório, completa com seu próprio histórico local e estrutura de branch. Geralmente, os usuários precisam compartilhar uma série de commits em vez de um único conjunto de alterações. Em vez de fazer o commit de um conjunto de alterações de uma cópia ativa para o repositório central, o Git permite compartilhar branches inteiros entre os repositórios.

        Ramificação do git

      • Você gerencia conexões com outros repositórios e publica o histórico local "enviando" ramificações para outros repositórios. Você vê com que outras pessoas contribuíram ao "enviar pull" de ramificações para o repositório local.

  7. Volte para a janela do terminal local e envie suas alterações com commit para o Bitbucket usando git push origin master. Esse comando especifica que você está enviando para a branch principal (a ramificação no Bitbucket) na origem (o servidor Bitbucket).

    Você deve ver algo como a resposta a seguir:

     $ git push origin master Contando objetos: 3, pronto. Gravando objetos: 100% (3/3), 253 bytes | 0 bytes/s, pronto. Total 3 (delta 0), reutilizado 0 (delta 0) Para https://emmap1@bitbucket.org/emmap1/bitbucketstationlocations.git * [new branch] master -> master Configuração da ramificação mestre para rastrear a ramificação mestre remota da origem.

    Seus commits estão agora no repositório remoto (origem).

    Git push

  8. Acesse seu repositório BitbucketStationLocations no Bitbucket.

  9. Se você clicar em Commits na barra lateral, verá um único commit no repositório. O Bitbucket combina todas as coisas que você acabou de fazer nesse commit e as mostra para você. Você pode ver que a coluna Autor mostra o valor usado quando você configurou o arquivo global do Git ( ~/.gitconfig).
    Se você clicar em Origem na barra lateral, vai ver que você tem um único arquivo de origem no repositório, o arquivo locations.txt que você acabou de adicionar.

    Commits do Bitbucket

Lembra qual era o aspecto do repositório na primeira vez que você o criou? Agora, ele provavelmente está um pouco diferente.

Puxar as alterações do seu repositório do Git no Bitbucket Cloud

A seguir na sua lista de atividades do administrador da estação espacial, você precisa de um arquivo com mais detalhes sobre seus locais. Como não tem muitos locais no momento, você vai adicioná-los diretamente do Bitbucket.

Passo 1. Crie um arquivo no Bitbucket

Para adicionar seu novo arquivo de locais, faça o seguinte:

  1. No repositório BitbucketStationLocations, clique em Origem para abrir o repositório de origem. Observe que você tem apenas um arquivo, locations.txt, em seu diretório.

    Janela de origem do Bitbucket

    A. Página de origem: Clique no link para abrir esta página.
    B. Seleção de ramificação: Escolha a ramificação que deseja visualizar.C. Botão Mais opções: Clique para abrir um menu com mais opções, como 'Adicionar arquivo'.D. Área do arquivo de origem: Visualize o diretório de arquivos no Bitbucket.

  2. Na página de Origem, clique no botão Mais opçõesno canto superior direito e selecione Adicionar arquivo no menu. O botão Mais opções aparece somente após você ter incluído pelo menos um arquivo no repositório.

    Uma página é aberta para a criação do novo arquivo, como mostrado na imagem a seguir.

    Novo arquivo no BitbucketNovo arquivo no BitbucketBitbucket new fileA. Ramificação com o novo arquivo: Altere se quiser adicionar um arquivo a uma ramificação diferente.
    B. Nova área do arquivo: Adicione conteúdo para seu novo arquivo aqui.

  3. Insira stationlocations no campo filename.

  4. Selecione HTML na lista Modo de sintaxe.

  5. Adicione o seguinte código HTML na caixa de texto:

     

    O Bitbucket possui as seguintes estações espaciais:

    Lua da terra
    Sedes

  6. Clique em Commit. O campo Mensagem de commit aparece com a mensagem: stationlocations criados online com o Bitbucket.

  7. Clique em Commit abaixo do campo de mensagem.

Agora, você tem um novo arquivo no Bitbucket! Você é levado para uma página com detalhes da confirmação, em que é possível ver a alteração que você acabou de fazer:

Master branch

Se quiser ver uma lista de commits feitos até o momento, clique em Commits na barra lateral.

Passo 2. Colocar as alterações de um repositório remoto

Agora, precisamos colocar esse novo arquivo no repositório local. O processo é bastante simples, basicamente apenas o inverso do envio que você usou para colocar o arquivo locations.txt no Bitbucket.

Para puxar o arquivo para o repositório local, faça o seguinte:

  1. Abra a janela de terminal e navegue pela parte superior do repositório local.

    $ cd ~/repos/bitbucketstationlocations/
  2. Digite o comando git pull —all para extrair todas as alterações do Bitbucket. (Em fluxos de trabalho de ramificação mais complexos, pode não ser apropriado extrair e mesclar todas as alterações.) Digite sua senha do Bitbucket quando for solicitado. Seu terminal deve ser semelhante ao seguinte:

    $ git pull --all Buscando origem remota: Contando objetos: 3, pronto. remote: Comprimindo objetos: 100% (3/3), pronto. remote: Total 3 (delta 0), reutilizados 0 (delta 0) Desempacotando objetos: 100% (3/3), pronto. De https://bitbucket.org/emmap1/bitbucketstationlocations fe5a280..fcbeeb0 master -> origin/master Atualizando fe5a280..fcbeeb0 Localizações de estações de avanço rápido | 5 ++++++++++++++ 1 arquivo alterado, 5 inserções(+) modo de criação 100644 localizações de estações

    O comando git pull mescla o arquivo do repositório remoto (Bitbucket) ao repositório local com um único comando.

    Origem para local

  3. Navegue até a pasta do repositório em seu sistema local e vai ver o arquivo que acabou de adicionar.

Fantástico! Com a adição dos dois arquivos sobre a localização de sua estação espacial, você executou o fluxo de trabalho básico do Git (clonar, adicionar, confirmar, enviar e puxar) entre o Bitbucket e o sistema local.

Usar uma ramificação do Git para mesclar um arquivo

Ser um administrador de estação espacial vem com certas responsabilidades. Às vezes, você vai precisar manter informações bloqueadas, especialmente quando estiver mapeando novos locais do sistema solar. As ramificações de aprendizagem vão permitir que você atualize seus arquivos e compartilhe as informações apenas quando estiver pronto.

As ramificações são mais poderosas quando você trabalha em equipe. Você pode trabalhar em sua própria parte de um projeto a partir de sua própria ramificação, enviar pull de atualizações do Bitbucket e, então, mesclar todo o seu trabalho na ramificação principal quando ela estiver pronta. Nossa documentação inclui mais explicações sobre por que pode ser recomendável usar ramificações.

Uma ramificação representa uma linha independente de desenvolvimento para seu repositório. Pense nisso como um diretório de trabalho totalmente novo, uma área de staging e um histórico de projeto. Antes de criar qualquer ramificação nova, você começa automaticamente com a ramificação principal (chamada mestre). Para um exemplo visual, este diagrama mostra a ramificação mestre e a outra ramificação com uma atualização de correção de bug.

Ramificação do git

Passo 1: Crie uma ramificação e faça uma alteração

Crie uma ramificação onde você puder adicionar planos futuros para a estação espacial que ainda não está pronto para confirmar. Quando você estiver pronto para tornar esses planos conhecidos a todos, poderá mesclar as alterações no seu repositório do Bitbucket e, em seguida, excluir a ramificação que não for mais necessária.

É importante entender que as ramificações são apenas indicadores para commits. Quando você cria uma ramificação, tudo o que o Git precisa fazer é criar um novo indicador, ele não cria um conjunto totalmente novo de arquivos ou pastas. Antes de começar, seu repositório é parecido com o seguinte:

Ramificação mestre

Para criar uma ramificação, faça o seguinte:

  1. Vá até a janela de terminal e navegue pela parte superior do repositório local usando o seguinte comando:

    $ cd ~/repos/bitbucketstationlocations/
  2. Crie uma ramificação a partir de sua janela de terminal.

    $ git branch future-plans

    Esse comando cria uma ramificação, mas não o alterna para essa ramificação, então seu repositório é parecido ao seguinte:

    Criar ramificação

    A história do repositório permanece inalterada. Tudo o que você tem é um novo indicador para a ramificação atual: Para começar a trabalhar na nova ramificação, você deve conferir a ramificação que deseja usar.

  3. Consulte a nova ramificação que você acabou de criar para começar a usá-la.

    $ git checkout future-plans Alterado para a ramificação 'future-plans'

    O comando git checkout funciona lado a lado com a ramificação git. Como você está criando uma ramificação para trabalhar em algo novo, toda vez que criar uma nova ramificação (com git branch), você quer ter certeza de conferir (com git checkout) se vai usá-la. Agora que você conferiu a nova ramificação, seu fluxo de trabalho do Git é algo parecido com isto:

    Ramificação de funcionalidade

  4. Procure a pasta bitbucketstationlocations em seu sistema local e abra-a. Você irá notar que não há arquivos ou pastas extras no diretório como resultado da nova ramificação.

  5. Abra o arquivo stationlocations usando um editor de texto.

  6. Faça uma alteração no arquivo adicionando outro local da estação:

    O Bitbucket possui as seguintes estações de espaço:

    Lua da terra
    Sedes

    Marte
    Departamento de recreação

  7. Salve e feche o arquivo.

  8. Digite git status na janela de terminal. Você irá ver algo assim:

    $ git status Na ramificação future-plans Alterações não preparadas para commit: (use "git add ..." para atualizar o que vai ser confirmado) (use "git checkout -- ..." para descartas as alterações no diretório de trabalho) modificado: localizações de estações nenhuma alteração adicionada ao commit (use "git add" e/ou "git commit -a")

    Você vê a linha Na ramificação future-plans? Se você inseriu o git status anteriormente, a linha estava na branch principal porque você só tinha uma branch principal. Antes de preparar ou fazer commit de uma alteração, verifique sempre essa linha para se certificar de que a ramificação onde você deseja adicionar a alteração tenha sido consultada.

  9. Prepare seu arquivo.

    $ git add stationlocations
  10. Digite o comando git commit na janela do terminal, como mostrado com o seguinte:

    $ git commit stationlocations -m 'making a change in a branch' [future-plans e3b7732] fazendo uma alteração em uma ramificação 1 arquivo alterado, 4 inserções(+)

    Com esse commit recente, seu repositório é algo parecido com o seguinte:

    Commit da ramificação de funcionalidade

    Agora é hora de mesclar a mudança que você acabou de fazer de volta na branch principal.

Passo 2. Mescle sua ramificação: mesclagem de avanço rápido

Sua estação espacial está crescendo, e é hora da cerimônia de abertura de sua localização Mars. Agora que seus planos futuros estão se tornando realidade, você pode mesclar sua ramificação planos futuros com a ramificação principal no sistema local.

Como você criou somente uma ramificação e fez uma alteração, use o método de ramificação de avanço rápido para mesclar. Você pode fazer uma mesclagem de avanço rápido porque tem um caminho linear da ponta da ramificação atual até a ramificação de destino. Em vez de "realmente"mesclar as ramificações, o Git precisa apenas mover (ou seja, "avançar rapidamente") a ponta da ramificação atual até a ponta da ramificação de destino para integrar os históricos. Isso efetivamente combina os históricos, pois todas as confirmações alcançáveis da ramificação de destino agora estão disponíveis por meio da atual.

Mesclagem de avanço rápido

Este fluxo de trabalho de ramificação é comum para ramificações de tópicos de curta duração com alterações menores e não são tão comuns para recursos de duração mais longa.

Para concluir uma mesclagem de avanço rápido, faça o seguinte:

  1. Abra a janela de terminal e navegue pela parte superior do repositório local.

    $ cd ~/repos/bitbucketstationlocations/
  2. Digite o comando git status para garantir que você tenha todas as suas alterações com commit e descubra qual ramificação você consultou.

    $ git status Na ramificação planos futuros não há nada para fazer commit, diretório de trabalho limpo
  3. Alterne para a branch principal.

    $ git checkout master Alterado para a ramificação 'master' Sua ramificação está atualizada com 'origin/master'.
  4. Mescle as alterações da ramificação future-plans para a branch principal. Vai ser algo assim:

    $ git merge future-plans Atualizando fcbeeb0..e3b7732 Localizações de estações de avanço rápido | 4 ++++ 1 arquivo alterado, 4 inserções(+)

    Você essencialmente moveu o ponteiro da branch principal para a frente para a cabeça atual, e seu repositório se parece com a mesclagem rápida acima.

  5. Como você não planeja mais usar future-plans, pode excluir a ramificação.

    $ git branch -d future-plans Ramificações planos futuros excluída (era e3b7732).

    Ao excluir future-plans, você ainda pode acessar a ramificação do masterusando um código de commit. Por exemplo, se você quiser desfazer as alterações adicionadas de future-plans, use o código de commit que você acabou de receber para voltar para essa ramificação.

  6. Insira git status para ver os resultados da sua mesclagem, que mostram que seu repositório local está um à frente do repositório remoto. Vai ser algo assim:

    $ git status Na ramificação mestre Sua ramificação está à frente de 'origin/master' por 1 commit. (use "git push" para publicar seus commits locais) nada para fazer commit, diretório de trabalho limpo

Aqui está o que você fez até agora:

  • Foi criada uma ramificação, que foi conferida
  • Foi feita uma alteração na nova ramificação
  • Foi feito commit da alteração na nova ramificação
  • Foi integrada essa alteração de volta na ramificação principal
  • Foi excluída a ramificação que você não está mais usando.

Em seguida, temos que enviar todo esse trabalho de volta para o Bitbucket, seu repositório remoto.

Passo 3. Coloque sua alteração no Bitbucket

Você quer que seja possível a todos ver o local da nova estação espacial. Para fazer isso, você pode enviar o estado atual do seu repositório local para Bitbucket.

Este diagrama mostra o que acontece quando seu repositório local tem alterações que o repositório central não tem e você envia essas alterações para Bitbucket.

Antes e depois de colocar a ramificação

Aqui está como enviar sua alteração para o repositório remoto:

  1. No diretório do repositório na janela do terminal, insira git push origin master para enviar as alterações. O resultado vai ser algo assim:

    $ git push origin master Contando objetos: 3, pronto. Compressão delta usando até 8 threads. remote: Comprimindo objetos: 100% (3/3), pronto. Gravando objetos: 100% (3/3), 401 bytes | 0 bytes/s, pronto. Total 3 (delta 0), reutilizado 0 (delta 0) Para https://emmap1@bitbucket.org/emmap1/bitbucketstationlocations.git fcbeeb0..e3b7732 master -> master
  2. Clique na página Visão geral do repositório do Bitbucket e observe que é possível ver a transmissão no fluxo Atividade recente.

  3. Clique em Commits para ver o commit feito no sistema local. Observe que a alteração mantém o mesmo código de commit que tinha em seu sistema local.

    Atividade de commit

    Você também pode ver que a linha à esquerda da lista de commits tem um caminho direto e não mostra ramificações. Isso porque a ramificação future-plans nunca interagiu com o repositório remoto, apenas com a alteração que criamos e da qual fizemos commit.

  4. Clique em Ramificações e observe que a página também não tem registro da ramificação.

  5. Clique em Origem e depois no arquivo stationlocations. Você pode ver que a última alteração no arquivo tem o código de commit que você transmitiu.

  6. Clique na lista do histórico do arquivo para ver as alterações com commit para esse arquivo, que irão aparecer semelhantes à imagem a seguir.

    Histórico de arquivo

Está pronto!

Não tem certeza se você conseguirá lembrar de todos os comandos Git que acabou de aprender? Sem problemas. Marque a página comandos básicos do Git para que possa consultá-la quando for necessário.